/

Governo Lula anuncia Plano Safra da Indústria com R$ 300 bilhões em crédito e subsídios

plano safra

No plano econômico do governo federal, foi divulgado o “Plano Mais Produção”, também conhecido como “Plano Safra para a indústria”, que destinará um total de R$ 300 bilhões em crédito e subsídios ao setor até 2026. O objetivo dessa iniciativa é atender às demandas da indústria e impulsionar o desenvolvimento do país. A cerimônia de anúncio desse incentivo será realizada hoje, segunda-feira (22), com a presença do presidente Lula no Palácio do Planalto.

Esse plano se baseia no “Nova Indústria Brasil” e possui quatro eixos principais: Mais Inovação, Mais Verde, Mais Exportação e Mais Produtividade. Cada um desses eixos receberá uma parcela dos recursos disponíveis para viabilizar as “seis missões” planejadas para a indústria brasileira até 2033.

No âmbito da inovação, serão utilizados recursos provenientes do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). Além disso, serão destinados recursos não-reembolsáveis para temas prioritários, assim como recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Industrial e Tecnológico (FNDIT).

Leia também:  Hospital Tibério Nunes realiza primeira neurocirurgia eletiva em Floriano

Para promover a transformação verde na indústria brasileira, o plano contará com investimentos provenientes do novo Fundo Clima. Esse fundo é considerado pelo governo como o principal instrumento para financiar a descarbonização da indústria. Além disso, estão previstas medidas voltadas à criação de fundos de investimento em participações para apoiar essa transformação ambiental.

No que diz respeito às exportações, o plano deposita suas expectativas no BNDES Exim, que é responsável pelo financiamento de exportação de bens e serviços nacionais. O governo também busca aprimorar a legislação relacionada às exportações de serviços, enviando um projeto de lei ao Congresso para autorizar o BNDES a retomar essa modalidade de crédito.

No quarto eixo do plano, além das ações financeiras do Brasil Mais Produtivo, que estimula a transformação digital das micro, pequenas e médias indústrias brasileiras, haverá recursos disponíveis do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (FUST). O BNDES também disponibilizará linhas de crédito para expansão da capacidade produtiva e aquisição de máquinas e equipamentos, tanto diretamente como por meio de seus parceiros financeiros.

Leia também:  Legalização de jogos pode gerar arrecadação sustentável

Além do “Plano Mais Produção”, o governo federal pretende descentralizar as operações do Fundo de Aval à Micro e Pequena Empresa Fampe Inovacred. Dessa forma, através de agentes financeiros, será possível apoiar empresas com faturamento de até R$ 4,8 milhões em projetos com valor máximo de R$ 1,5 milhão. Essas operações poderão ter prazo de até 10 anos e espera-se beneficiar cerca de 60 mil pequenos negócios.

Com essas medidas, o governo busca impulsionar a indústria brasileira nos próximos anos, promovendo inovação, desenvolvimento sustentável e aumento nas exportações. Além disso, há também uma preocupação em apoiar o crescimento das micro e pequenas empresas, fundamentais para a economia do país.

Notícia
No plano econômico do governo federal, foi divulgado o “Plano Mais Produção”, também conhecido como “Plano Safra para a indústria”, que destinará um total de R$ 300 bilhões em crédito e subsídios ao setor até 2026.
O objetivo dessa iniciativa é atender às demandas da indústria e impulsionar o desenvolvimento do país.
A cerimônia de anúncio desse incentivo será realizada hoje, segunda-feira (22), com a presença do presidente Lula no Palácio do Planalto.
Esse plano se baseia no “Nova Indústria Brasil” e possui quatro eixos principais: Mais Inovação, Mais Verde, Mais Exportação e Mais Produtividade.
Cada um desses eixos receberá uma parcela dos recursos disponíveis para viabilizar as “seis missões” planejadas para a indústria brasileira até 2033.
No âmbito da inovação, serão utilizados recursos provenientes do BNDES e da Finep.
Além disso, serão destinados recursos não-reembolsáveis para temas prioritários, assim como recursos do FNDIT.
Para promover a transformação verde na indústria brasileira, o plano contará com investimentos provenientes do Fundo Clima.
Estão previstas medidas voltadas à criação de fundos de investimento em participações para apoiar essa transformação ambiental.
No que diz respeito às exportações, o plano deposita suas expectativas no BNDES Exim.
O governo também busca aprimorar a legislação relacionada às exportações de serviços.
No quarto eixo do plano, além das ações financeiras do Brasil Mais Produtivo, haverá recursos disponíveis do FUST.
O BNDES disponibilizará linhas de crédito para expansão da capacidade produtiva e aquisição de máquinas e equipamentos.
Além do “Plano Mais Produção”, o governo federal pretende descentralizar as operações do Fundo de Aval à Micro e Pequena Empresa Fampe Inovacred.
Dessa forma, através de agentes financeiros, será possível apoiar empresas com faturamento de até R$ 4,8 milhões em projetos com valor máximo de R$ 1,5 milhão.
Essas operações poderão ter prazo de até 10 anos e espera-se beneficiar cerca de 60 mil pequenos negócios.
Com essas medidas, o governo busca impulsionar a indústria brasileira nos próximos anos, promovendo inovação, desenvolvimento sustentável e aumento nas exportações.
Há também uma preocupação em apoiar o crescimento das micro e pequenas empresas, fundamentais para a economia do país.

Com informações de https://www.cnnbrasil.com.br/economia/macroeconomia/governo-lula-preve-r-300-bilhoes-em-credito-e-subsidio-para-plano-safra-da-industria/

Meu Piauí

A Meu Piauí é uma revista online que apresenta e valoriza nosso estado, nossa cultura e nossa gente.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.

Últimos artigos do Blog