Descrição da imagem

Jovem piauiense desenvolve equipamento de monitoramento de água e busca apoio para representar o Brasil em evento internacional

Equipamento que monitora qualidade da água - Foto: Arquivo pessoal Manoel Nunes

Manoel Nunes Neto, um estudante de Teresina de 17 anos, criou um dispositivo que monitora a qualidade da água. Por conta própria, ele, que é estudante do 2º ano do ensino médio, elaborou sozinho o projeto que integra conhecimentos de engenharia e programação. A invenção, fruto do esforço do adolescente, já recebeu reconhecimento em várias exposições científicas.

O dispositivo apresenta autonomia, impulsionado por energia solar, dispensando manutenções regulares e a intervenção de especialistas para a análise dos dados. 

O funcionário público e pai do adolescente, Ocimam Bonfim nos explica como ocorreu o interesse do filho pela área

“O Manoel sempre teve interesse pela área de robótica e automação desde muito cedo. Quando criança, uma das suas brincadeiras favoritas era coletar sucata para criar algumas de suas ideias. Foi com essa paixão e preocupação com os danos que a poluição das água causava para ribeirinhos que o Manoel teve a ideia de criar um equipamento com o intuito de ajudar as pessoas que passavam por dificuldades por conta de contaminações”

Ocimam também cita que o fato de morarem em Teresina (PI), uma cidade banhada por dois rios, influenciou muito Manoel. A família reside no Portal da Alegria, Zona Sul da capital.

O equipamento opera da seguinte maneira: o usuário posiciona o dispositivo no ambiente que deseja monitorar e específica por meio de SMS os locais que pretende acompanhar. Após o trajeto, a máquina disponibiliza todos os dados capturados em um cartão de memória, incluindo informações como pH, turbidez, temperatura e partículas dissolvidas.

Leia também:  Van Gogh & Impressionistas: Exposição chega no Shopping Rio Poty

É importante destacar que, por se tratar de um equipamento de baixo custo, existem duas versões disponíveis: uma equipada com motores que realiza o percurso mencionado anteriormente, e outra versão mais econômica que permanece à deriva no rio. 

Órgãos governamentais, bem como organizações não governamentais (ONGs), também podem utilizar o dispositivo para identificar focos de contaminação, como esgotos clandestinos. Isso se deve ao fato de que o equipamento, em sua análise, registra todo o percurso, graças a um sistema de localização incorporado.

Além disso, é relevante ressaltar que o equipamento é capaz de realizar análises em qualquer tipo de água.

Histórico de premiações

Manoel já apresentou seu projeto em várias exposições de iniciação científica, notavelmente na Mostra Nacional de Robótica (MNR), na Bahia, e na Feira Mineira de Iniciação Científica (FEMIC), em que conquistou prêmios ao apresentar o seu trabalho 

Após garantir o primeiro lugar na FEMIC, Manoel foi convidado para participar da Feira Internacional de Ciências, em Porto Rico. O evento está agendado para acontecer em abril de 2024.

O adolescente também garantiu o primeiro lugar na FEMIC, o seu projeto recebeu um convite para participar da Feira Internacional de Ciências em Porto Rico, agendada para abril de 2024. 

Leia também:  Escadaria do Monte Castelo: a beleza na arte!

Próximos passos

Quanto aos próximos passos do projeto, conforme explicado por Ocimam, há planos para patentear o dispositivo e, em uma etapa posterior, oferecê-lo a órgãos governamentais e empresas privadas.

Enquanto isso, os dados coletados e os relatórios referentes à qualidade da água permanecem sob a posse do estudante, armazenados em cartões de memória.

FICEP 2024

Ocimam nos explica que atualmente estão em busca de patrocínio para que o filho consiga participar da FICEP

“pelo alto custo da viagem e pela condição financeira da família as ajudas poderiam ser com divulgação para buscar possíveis patrocinadores e investimentos para o projeto” disse. 

A família conta com a página @sustentabilidade_chave no Instagram, onde qualquer pessoa interessada em ajudar, pode entrar em contato. 

Existe também uma vaquinha online, criada pela família para receber doações que ajudaram a custear a ida de Manuel à feira. 

Manoel falou como se sente em ter a oportunidade participar de grandes eventos e ganhar visibilidade na área

“É algo inexplicável já que desde criança sempre sonhei em conquistar visibilidade na minha área de atuação e de alguma forma ajudar os menos favorecidos com projetos e ver uma das minhas criações ganhando tanta visibilidade e reconhecimento é algo muito gratificante” pontuou o estudante.

Sane Araujo

Jornalista e pesquisadora, formada em Comunicação Social pela Universidade Federal do Piauí.

1 Comment

Deixe um comentário

Your email address will not be published.

Últimos artigos do Blog