/

Pets no Réveillon: Como Amenizar o Sofrimento dos Animais com os Fogos de Artifício

Pets no Réveillon

Os animais de estimação, especialmente cães e gatos, podem sofrer com o barulho dos fogos de artifício durante as festas de réveillon. A sensibilidade auditiva desses animais é maior do que a dos humanos, o que torna os ruídos ainda mais incômodos para eles. É importante que os tutores de pets estejam cientes dos impactos negativos e tomem precauções para minimizar o sofrimento dos seus animais.

Médico veterinário explica os efeitos do barulho nos animais

O médico veterinário Hans Reuter, conhecido nas redes sociais como o “veterinário que explica do jeito fácil”, ressalta que os animais sofrem com o barulho dos fogos de artifício devido à sua audição mais sensível. Enquanto os humanos conseguem ouvir sons na faixa de 20 a 20 mil hertz, os cães podem escutar entre 40 e 60 mil hertz, e os gatos na frequência de 48 a 85 mil hertz.

Reuter destaca que, embora os gatos geralmente demonstrem menos sinais de incômodo do que os cachorros, cada animal pode reagir de forma diferente ao barulho dos fogos. Os cães tendem a manifestar sinais de medo e ansiedade mais evidentes, enquanto os gatos costumam buscar um ambiente seguro e ficar quietos.

Leia também:  Proposta de Rampa de Transição visa fortalecer MEI e Microempresas no Brasil

Precauções para proteger os animais durante a queima de fogos

O uso de protetores auditivos vendidos no comércio não é recomendado pelo veterinário. Em vez disso, Reuter sugere colocar pequenos pedaços de algodão no ouvido externo do animal para diminuir a percepção do som. No entanto, é importante ter cuidado para não empurrar o algodão para dentro do ouvido e lembrar-se de retirá-lo posteriormente para evitar problemas ao animal.

A automedicação sedativa também é desaconselhada sem a orientação médica. Reuter alerta que a automedicação pode causar efeitos adversos que colocam em risco a vida do animal. É preferível adotar medidas para tornar o ambiente mais seguro durante os fogos de artifício, como remover objetos perigosos e baixas mesas e móveis com quinas pontiagudas.

Outras precauções recomendadas incluem deixar o animal em um ambiente acolchoado, como casinhas ou caixas de transporte, para que ele se sinta seguro com menos estímulos externos. Fechar as janelas para diminuir o som e reduzir os estímulos visuais também pode ser benéfico. Além disso, colocar panos por debaixo da porta ou deixar o animal em um ambiente tranquilo e afastado pode ajudar.

Leia também:  Pacto pelas Crianças promove Bazar Solidário no Teresina Shopping

Para os animais muito sensíveis ao barulho, Reuter indica a exposição gradual ao som como uma técnica eficaz no médio e longo prazo. Dessa forma, o animal vai se acostumando com a frequência sonora e sentirá menos medo. No entanto, é fundamental realizar esse tratamento sob a supervisão e orientação do veterinário.

Impactos negativos dos fogos de artifício no equilíbrio dos animais

Reuter ressalta que os ruídos intensos dos fogos de artifício podem afetar diretamente o equilíbrio dos animais através do labirinto, componente interno do aparelho auditivo. Barulhos muito altos podem causar alterações no conduto auditivo e desorientar o animal quando exposto a eles.

Em suma, é crucial que os tutores de animais de estimação estejam cientes dos impactos negativos que os fogos de artifício podem ter nos seus pets e tomem medidas para protegê-los durante essas ocasiões. Precauções simples, como criar um ambiente seguro e tranquilo, podem ajudar a minimizar o estresse e a ansiedade causados pelo barulho. É sempre recomendado buscar orientação profissional para garantir o bem-estar dos animais.

Relatório sobre os efeitos do barulho dos fogos de artifício nos animais
Animais têm audição mais sensível que humanos
Cães podem escutar entre 40 e 60 mil hertz
Gatos podem ouvir na frequência de 48 a 85 mil hertz
Cães manifestam sinais de medo e ansiedade
Gatos se recolhem em ambiente seguro e ficam quietos
Uso de protetores auditivos não é recomendado
Sugestão de colocar pequenos pedaços de algodão no ouvido externo do animal
Uso de medicação sedativa desaconselhado sem orientação médica
Tornar o ambiente mais seguro durante os fogos de artifício
Deixar o animal em ambiente acolchoado e afastado de estímulos
Exposição gradual ao som como técnica eficaz
Buscar tratamentos adequados para proteger o equilíbrio dos animais
Precauções simples podem minimizar estresse e ansiedade
Orientação profissional é recomendada

Com informações de https://extra.globo.com/rio/noticia/2023/12/saiba-como-diminuir-o-sofrimento-dos-pets-durante-a-queima-de-fogos-no-reveillon.ghtml

Meu Piauí

A Meu Piauí é uma revista online que apresenta e valoriza nosso estado, nossa cultura e nossa gente.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.

Últimos artigos do Blog