Descrição da imagem
/

PF prende ex-ajudante de Bolsonaro em operação contra dados falsos de vacina

dados falsos de vacina

Nesta quarta-feira, dia 3 de janeiro de 2023, a Polícia Federal realizou buscas na casa do ex-presidente Jair Bolsonaro em Brasília e prendeu o ex-ajudante de ordens do político, tenente-coronel Mauro Cid Barbosa, além de outros cinco suspeitos em operação contra dados falsos de vacina.

A operação faz parte do inquérito das milícias digitais, que já está em andamento no Supremo Tribunal Federal e teve autorização do ministro Alexandre de Moraes. O objetivo da operação é desarticular um grupo suspeito de inserir dados falsos nos sistemas do Ministério da Saúde relacionados à vacinação contra a Covid-19.

Segundo as investigações da PF, o grupo teria emitido certificados de vacinação falsos para burlar restrições sanitárias impostas pelos governos brasileiro e norte-americano durante a pandemia. Os certificados forjados incluíam os nomes de Jair Bolsonaro, sua filha Laura Bolsonaro, o ex-ajudante Mauro Cid Barbosa, sua mulher e filha.

Leia também:  Expansão revoluciona Saúde Digital no Piauí

Entre os crimes investigados pela PF estão infração da medida sanitária preventiva, associação criminosa, inserção de dados falsos em sistemas de informação e corrupção de menores. Com as informações obtidas por meio da quebra do sigilo telefônico, a Polícia Federal afirmou que o objetivo do grupo seria manter a coesão ideológica em relação às pautas anti-vacinação.

Além do ex-ajudante de ordens de Bolsonaro, foram presos o sargento Luis Marcos dos Reis, Ailton Gonçalves Moraes Barros (ex-major do Exército), Max Guilherme (policial militar), Sérgio Cordeiro (militar do Exército) e João Carlos de Sousa Brecha (secretário municipal de Governo de Duque de Caxias). Os envolvidos são alvos de seis mandados de prisão preventiva e 16 mandados de busca e apreensão em Brasília e no Rio de Janeiro.

Leia também:  Governo apresenta programa Morar Bem Piauí com cheque-moradia de até R$10 mil

A TV Globo apurou que a investigação descobriu que Bolsonaro teria recebido duas doses da Pfizer contra a Covid-19 em agosto e outubro de 2022. Porém, após a operação desta quarta-feira (03), o próprio ex-presidente negou que ele ou sua filha tenham se imunizado.

A operação desta quarta-feira é mais um capítulo da longa investigação sobre as milícias digitais envolvendo aliados próximos ao ex-presidente Jair Bolsonaro.

Notícia:Polícia Federal realiza buscas na casa de Jair Bolsonaro e prende ex-ajudante de ordens e mais cinco suspeitos por inserção de dados falsos nos sistemas do Ministério da Saúde relacionados à vacinação contra a Covid-19.
Data:03/01/2023
Local:Brasília e Rio de Janeiro
Investigação:Inquérito das milícias digitais, em andamento no Supremo Tribunal Federal
Crimes investigados:Infração da medida sanitária preventiva, associação criminosa, inserção de dados falsos em sistemas de informação e corrupção de menores
Objetivo do grupo:Burlar restrições sanitárias impostas pelos governos brasileiro e dos Estados Unidos durante a pandemia

Com informações de https://g1.globo.com/df/distrito-federal/noticia/2023/05/03/ex-ajudante-de-ordens-de-bolsonaro-e-preso-pela-pf.ghtml

Meu Piauí

A Meu Piauí é uma revista online que apresenta e valoriza nosso estado, nossa cultura e nossa gente.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.

Últimos artigos do Blog