Bares e restaurantes pedem retorno do Horário de Verão

foto de bar vazio com prateleiras cheias

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) enviou uma carta ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ao vice-presidente Geraldo Alckmin e ao ministro do Turismo Celso Sabino, solicitando o retorno do horário de verão, suspenso por decreto em 2019.

Segundo a entidade, essa medida tem um impacto direto no faturamento dos estabelecimentos do setor, estimando-se um aumento de 10% a 15%. A implementação do horário de verão beneficiaria cerca de 7 milhões de brasileiros que trabalham nesse ramo e possui aproximadamente 1,5 milhão de empresas no país.

Além disso, a Abrasel argumenta que essa medida também movimentaria a economia, especialmente no comércio e turismo, pois os turistas tendem a aproveitar mais os destinos prolongando suas atividades até mais tarde. A presença de mais luz natural durante os dias favoreceria o consumo e atrairia uma maior frequência de clientes aos estabelecimentos.

Leia também:  Governo investirá R$ 1,53 bi para melhorar escolas estaduais

Cabe destacar que o horário de verão foi instituído em 1931, mas só passou a ser adotado regularmente a partir de 1985. Essa medida visava aproveitar a iluminação natural durante os meses mais quentes do ano, quando os dias são mais longos e as noites são mais curtas, resultando em economia de energia e redução do risco de apagões.

Ministério de Minas e Energia defende não retomar o horário de verão em 2023

Por outro lado, o Ministério de Minas e Energia avaliou que não é necessário retomar o horário de verão em 2023. Eles afirmam que a situação dos reservatórios e a oferta de fontes renováveis são suficientes para garantir o fornecimento de energia.

Além disso, destacam que o comportamento de consumo mudou ao longo do tempo, tornando a medida menos eficaz. Segundo dados do ONS, os níveis dos reservatórios das hidrelétricas devem estar acima de 70% até o fim deste mês em todas as regiões do país.

Leia também:  Polícia Militar forma 350 novos soldados para reforçar a segurança no Piauí

A suspensão do horário de verão ocorreu durante o governo de Jair Bolsonaro em 2019. Na época, o governo considerou que a mudança no padrão de consumo de energia e os avanços tecnológicos tornaram essa medida desnecessária. Mesmo diante da crise hídrica de 2021, o governo optou por não retomar o horário de verão.

Portanto, a discussão sobre a retomada ou manutenção do horário de verão continua sendo um tema relevante para diversos setores da economia brasileira. Enquanto a Abrasel busca argumentos para convencer as autoridades sobre seus benefícios, o Ministério de Minas e Energia permanece com sua posição contrária, baseando-se nos dados dos reservatórios e nas mudanças no consumo energético.

Notícia
A Abrasel, Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, enviou uma carta ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ao vice-presidente Geraldo Alckmin e ao ministro do Turismo Celso Sabino, solicitando o retorno do horário de verão, suspenso por decreto em 2019.
Impacto direto no faturamento dos estabelecimentos do setor, estimando-se um aumento de 10% a 15%.
Beneficiaria cerca de 7 milhões de brasileiros que trabalham nesse ramo e possui aproximadamente 1,5 milhão de empresas no país.
Movimentaria a economia, especialmente no comércio e turismo, pois os turistas tendem a aproveitar mais os destinos prolongando suas atividades até mais tarde.
A presença de mais luz natural durante os dias favoreceria o consumo e atrairia uma maior frequência de clientes aos estabelecimentos.
Ministério de Minas e Energia avaliou que não é necessário retomar o horário de verão em 2023.
Situação dos reservatórios e a oferta de fontes renováveis são suficientes para garantir o fornecimento de energia.
Comportamento de consumo mudou ao longo do tempo, tornando a medida menos eficaz.
Níveis dos reservatórios das hidrelétricas devem estar acima de 70% até o fim deste mês em todas as regiões do país.
Suspensão do horário de verão ocorreu durante o governo de Jair Bolsonaro em 2019.
Governo considerou que a mudança no padrão de consumo de energia e os avanços tecnológicos tornaram essa medida desnecessária.
Discussão sobre a retomada ou manutenção do horário de verão continua sendo um tema relevante para diversos setores da economia brasileira.
Abrasel busca argumentos para convencer as autoridades sobre seus benefícios.
Ministério de Minas e Energia permanece com sua posição contrária, baseando-se nos dados dos reservatórios e nas mudanças no consumo energético.

Com informações de https://g1.globo.com/economia/noticia/2023/09/23/setor-de-bares-e-restaurantes-pede-o-retorno-do-horario-de-verao.ghtml

Meu Piauí

A Meu Piauí é uma revista online que apresenta e valoriza nosso estado, nossa cultura e nossa gente.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.

Últimos artigos do Blog