Descrição da imagem
/

Estudo aponta que dopamina é responsável pelo reganho de peso após dieta bem-sucedida

reganho de peso após dieta

Pesquisadores do Centro Médico da Universidade de Amsterdã (UMC), na Holanda, publicaram um estudo na revista Nature Metabolism que aponta que a dopamina é a responsável pelo reganho de peso após uma dieta bem-sucedida.

O neurotransmissor está envolvido nos sentimentos gratificantes relacionados à ingestão de alimentos e, segundo os pesquisadores, a sensação de saciedade está ligada à integração entre sinais metabólicos e neuronais, envolvendo cérebro, intestino e transporte de nutrientes no sangue.

Obesidade afeta comportamento alimentar

Pessoas com obesidade apresentam respostas cerebrais diminuídas em relação à rede de saciedade. Mesmo após perda de peso, é difícil recuperar o funcionamento normal, podendo afetar o comportamento alimentar. O estudo contou com 60 voluntários adultos – 30 pessoas com peso considerado saudável e outras 30 com obesidade. Eles receberam infusões no estômago de carboidrato, gordura e água para medir as atividades cerebrais e a quantidade de dopamina durante o experimento.

Leia também:  BNDES lança linha de crédito verde para agroexportadores

Os resultados mostraram que pessoas com obesidade liberam menos dopamina em uma área do cérebro importante para a motivação voltada à ingestão de alimentos em comparação ao grupo saudável. Mesmo aqueles que perderam 10% do peso corporal após uma dieta de 12 semanas não conseguiram restaurar as respostas cerebrais aos patamares normais.

Perigos da utilização indiscriminada de remédios para emagrecer

É importante alertar sobre os riscos associados à utilização indiscriminada de remédios ou chás para emagrecer. Alguns famosos medicamentos são comercializados sem a necessidade da retenção de receita, mas pessoas com comorbidades como hipertensão, diabetes ou hepatite A, alergias ou que tomam outras medicações podem ter sérios problemas. Entre os riscos do uso estão dependência química, efeito sanfona e alterações gastrointestinais, cardíacas e renais.

Leia também:  Lula propõe programa de incentivo para eletrodomésticos: preços mais baixos estão por vir

A maioria desses remédios reduz o apetite e aumenta a saciedade por agir em receptores cerebrais. Porém, eles podem ser tóxicos para o fígado e rins do corpo humano. Já os diuréticos causam aumento do volume de urina e perda urinária de eletrólitos como potássio, sódio e magnésio além da água. Quando consumidos em excesso causam desidratação, reduzem a pressão arterial e podem causar arritmias cardíacas.

Busque orientação médica

Especialistas alertam para o perigo de comprar produtos na internet com promessas milagrosas de emagrecimento. A melhor opção é buscar tratamento médico com especialistas em educação física, endocrinologistas e nutricionistas para mudar o estilo de vida e hábitos alimentares.

Com informações de https://www.metropoles.com/saude/por-que-as-pessoas-engordam-apos-emagrecer

Meu Piauí

A Meu Piauí é uma revista online que apresenta e valoriza nosso estado, nossa cultura e nossa gente.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.

Últimos artigos do Blog