Descrição da imagem
/

Fapepi Investe em Projeto de Recuperação da Biodiversidade no Semiárido Piauiense

foto de mão segurando muda de planta no solo

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (Fapepi) está investindo em um projeto no semiárido piauiense visando recuperar a biodiversidade do solo. O projeto, intitulado “Revegetação como Estratégia de Recuperação da Biodiversidade em Unidades de Recuperação de Áreas Degradadas e Redução da Vulnerabilidade Climática (Urad) no Semiárido Piauiense”, surge em meio ao cenário árido do estado, buscando explorar estratégias inovadoras para restaurar as propriedades biológicas do solo.

No nordeste brasileiro, em estados como Piauí, Ceará, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte, a desertificação e degradação do solo representam desafios significativos. O projeto foca suas atividades nas regiões de Gilbués e Santo Antônio de Lisboa, realizando estudos avançados para enfrentar essas questões.

Leia também:  Governo envia ao congresso proposta de política de valorização do salário mínimo

Em Gilbués, a equipe concentra esforços na monitorização da biodiversidade do solo, enquanto em Santo Antônio de Lisboa foi estabelecida uma Unidade de Referência em Área Degradada (URAD) para coletas e monitoramentos. A colaboração entre especialistas e alunos de Agronomia da UFPI, juntamente com pesquisadores de outras instituições renomadas, tem sido fundamental nesse processo.

Os estudos conduzidos nos laboratórios da UFPI e UFC revelam um cenário preocupante de degradação do solo, evidenciando a urgência das ações propostas pelo projeto. Apesar dos desafios enfrentados desde o início em 2019, os resultados preliminares apontam para avanços promissores com a implementação das estratégias propostas.

Resultados e Impactos

Embora ainda não tenha sido alcançada uma recuperação completa das propriedades biológicas do solo, os avanços obtidos até o momento são animadores. O líder do projeto destaca não apenas os impactos ambientais e científicos positivos, mas também a relevância social da preservação da vegetação do solo e, da biodiversidade associada.

Leia também:  Legalização de jogos pode gerar arrecadação sustentável

Os progressos alcançados refletem o potencial das práticas adotadas para melhorar as condições do solo, contribuindo não apenas para o meio ambiente, mas também para a formação acadêmica em pesquisa nessa área crucial. Apesar dos desafios enfrentados, os resultados obtidos até agora indicam uma perspectiva otimista em relação à reversão da degradação ambiental.

Para mais informações sobre o projeto científico mencionado, acesse o link: Fapepi – Projeto de Recuperação da Biodiversidade.

Projeto:Recuperação da Biodiversidade através da Revegetação em Áreas Degradas no Semiárido
Localização:Piauí (Gilbués e Santo Antônio de Lisboa)
Objetivo:Estudar diversidade do solo e restaurar propriedades biológicas
Resultados:Progressos promissores, mas ainda sem recuperação completa
Impactos:Ambientais, científicos e sociais positivos
Link:Mais informações

Com informações de https://www.pi.gov.br/noticia/fapepi-investe-em-projeto-de-revitalizacao-no-semiarido-piauiense-para-recuperacao-da-biodiversidade-do-solo

Meu Piauí

A Meu Piauí é uma revista online que apresenta e valoriza nosso estado, nossa cultura e nossa gente.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.

Últimos artigos do Blog