O Mau Jornalismo

Ilustração de um homem com aspecto de zumbi carregando um lápis gigante na escuridão. O Mau Jornalismo. Coluna Dário Castro. Revista Meu Piauí.

A liberdade de imprensa é o baluarte da democracia. Não assegurado aos indivíduos o direito à informação livre de amarras e vícios, abre-se a guarda para a tirania.

O jornalista é o arauto da sociedade e por isso deve gozar dos preceitos do seu ofício sem constrangimento e coação, que, aliás, são comuns. É preciso, pois, coragem antes de tudo para que se incuba o jornalista do seu dever.

Coragem, porém, não basta. Como mensageiro que é, e pela credibilidade e força outorgadas ao que ele diz, o jornalista deve ser meticuloso e honesto. Se vai por pradarias insólitas e perigosas em busca da notícia, deve saber que se darão os descaminhos também dentro dele próprio se não conservar, renovar e fortalecer a sanidade que o faz saber a sua obrigação e zelar pela sua conduta.

Leia também:  Vídeo: Para Entender as Fake News de Uma Vez Por Todas

Não são poucos os perdidos e transviados, atraídos pelas regalias de bárbaros ou suprimidos pela vastidão do mundo sórdido que fica aquém dos altos muros que protegem a democracia e tudo que ela oferece e demanda. Não são poucos os injustos e os incautos que se deleitam em suas patentes e, voltados para si, não mais honram o poder neles investido. Não são poucos, porém, os que compreendem que no mau jornalismo está o início do fim do bom jornalismo.

O mau jornalismo, de vivências escusas, é sorrateiro e pernicioso. Esconde-se na prerrogativa que lhe é oferecida para perpetuar os seus interesses e agigantar a sua pequenez ao mesmo tempo em que se apressa, toda vez que seus erros e deliberações maldosas são expostos, para bradar pela liberdade de imprensa e acusar, com veemência, que poderosos querem calá-la. O mau jornalismo é assim, de aparência esquálida quando convém e voraz quando acha que pode.

Leia também:  Vídeo: O Elemento Secreto do Bolsonarismo - Parte III

Temos muito a fazer. Se a imprensa é livre, que demonstre para quê; que se preze e se respeite para ser prezada e respeitada, pois o bom jornalismo está em desvantagem e continuará assim sempre que o corporativismo cego que acomete os jornalistas insistir em acomodar o joio e o trigo no mesmo saco.

E a imprensa livre tem inimigos demais para se dar esse luxo. 

Dário Castro

Escritor, Jornalista e Mestre em Estudos Culturais.
Contato: [email protected]

Deixe um comentário

Your email address will not be published.

Últimos artigos do Blog