/

Ultraprocessados: Os Vilões Silenciosos da Saúde

alimentos Ultraprocessados

O processo de industrialização dos alimentos pode resultar na perda de propriedades importantes para a nossa saúde, como a diminuição das fibras presentes em grãos como arroz, trigo, aveia e milho. Esses alimentos passam por um processo de moagem ou refinamento, o que acaba reduzindo ou eliminando completamente esse nutriente essencial para o funcionamento do intestino e a sensação de saciedade.

De acordo com Anthony Fardet, cientista nutricional do Instituto Nacional Francês de Agricultura, Alimentação e Meio Ambiente, o ultraprocessamento dos alimentos interfere nas ligações entre os nutrientes, criando novas ligações que o nosso corpo pode não reconhecer. Essa interferência pode perturbar o processo digestivo.

Impactos na saúde

As formulações industriais desses alimentos costumam ser ricas em amido, o que impacta na absorção da glicose e de outros nutrientes pelo nosso organismo. Um estudo publicado no periódico The American Journal of Clinical Nutrition em agosto de 2021 mostrou que essas alterações na digestibilidade e nas respostas metabólicas podem aumentar o risco de desenvolvimento de diabetes tipo 2 e obesidade a longo prazo.

Leia também:  Presidente Lula assina projeto para motoristas de aplicativo com novas regras

Composição nutricional desbalanceada

De acordo com o Guia Alimentar para a População Brasileira, eles costumam ser ricos em gorduras e açúcares, além de apresentarem alto teor de sódio. O elevado consumo de sal é necessário para aumentar a durabilidade dos produtos e intensificar seu sabor ou mascarar sabores indesejáveis provenientes de aditivos, ou técnicas utilizadas no ultraprocessamento.

Alimentos pobres em nutrientes essenciais

A ausência ou a presença limitada de alimentos in natura ou minimamente processados nesses produtos industrializados faz com que eles sejam pobres em vitaminas, minerais e outras substâncias com atividade biológica essenciais para a nossa saúde.

Portanto, é importante ficar atento aos alimentos que consumimos e dar preferência aos alimentos frescos, naturais e minimamente processados. Essa escolha contribui para uma dieta mais balanceada e saudável, evitando problemas de saúde relacionados ao consumo excessivo de alimentos ultraprocessados.

Leia também:  Governador lança Pacto para Reduzir 50% Mortes no Trânsito até 2030
Resumo da Notícia
O processo de industrialização dos alimentos pode resultar na perda de fibras importantes para a saúde.
O ultraprocessamento interfere nas ligações entre os nutrientes e pode perturbar o processo digestivo.
Alimentos ultraprocessados podem aumentar o risco de diabetes tipo 2 e obesidade.
Esses alimentos são ricos em gorduras, açúcares e sódio, e pobres em vitaminas e minerais.
É importante preferir alimentos frescos, naturais e minimamente processados para uma dieta saudável.

Com informações de https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2023/10/16/de-corante-a-gordura-vegetal-o-que-tem-nos-ultraprocessados-que-faz-mal.htm

Meu Piauí

A Meu Piauí é uma revista online que apresenta e valoriza nosso estado, nossa cultura e nossa gente.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.

Últimos artigos do Blog